Gavião arqueiro #4 ao #6 – Comic Review / Crítica

gaviãoarqueiro-mattfraction-malditosinvasores

Matt  Fraction e David Aja, uma aliança que ameaça SALVAR o universo marvel da mesmice. 

E aqui estamos nós, com mais três belíssimas edições escritas pelo – agora – poderoso Matt Fraction é o majestoso David Aja, com convidados claro. Eu cheguei a pensar que depois das primeiras edições eu não veria algo mais espetacular, mesmo que muito esperançoso sobre as próximas edições, mas esse não foi o caso. O Matt não desceu em nada o nível ao fazer essas edições, o material está realmente primoroso.

O enredo; para quem chegou agora, se foca na vida de Clint Barton – vulgo Gavião Arqueiro – que simplesmente resolveu largar a mansão dos vingadores para morar em um simples condomínio de classe media baixa. Ao decorrer da historia Clint vai conhecendo os moradores da prédio é fazendo amizade com eles, disso as tramas se desenvolver a partir deles. Tendo em vista que o local não é lá um dos mais “bem posicionados” da cidade, ele acaba se metendo em muita confusão que gera até uma rixa com um mafioso da região.

Nesses edições agora a poeira – meio que – abaixou. Clint está de boa com a policia que se queixou dele estar dando muito shows para à vizinhança, que está bem assustadas com o herói vivendo e zonando perto deles. Mas, os problemas são uma ruiva… que dizer, à ruiva problema voltou com MAIS problemas. Ela agora não demora muito em cena, porem ajuda um pouco no andamento da historia que agora se foca no palhaço.

Sim! Agora Clint“Garoto Gavião”Barton tem um arque inimigo.

hawkeye2012010_cov1

O Palhaço, não literalmente um palhaço… quase.

Uma das coisa que mais chama atenção entre essas três edições é a que se foca no ponto de vista do Flecha (Pizza Dog) sobre a situação. Isso mesmo, você não leu errado. A uma edição apenas foca num cachorro, que até mesmo chega ser melhor do que as aventuras do protagonista.

A serie agora entrou em mais uma daquelas fases de andamento e exploração do enredo. O que é – e não é – meio chato, até mesmo em momentos que o Matt tem que explicar o que vai rolar nas edições seguintes o cara é bom. Ele sabe como instigar o leitor para ele querer ler mais. Uma pena que o numero de referencias a filmes é musicas diminui-o um pouco, mas com toda certeza logo voltara para o que era no inicio do arco.

O humor aqui, é claro, continua majestoso. Não à sequer um piada que não seja inteligente, eu mesmo racho de rir com os russos bigodudos de roupa de malha Adidas que a todo em menos de 5 palavras conseguem emendar um Bro (Cara) em suas frases. Sem contar que o Clint também está um poço de risadas, mesmo não sendo tão engraçado os problemas em que ele se envolve são e os modos que ele inventa para bular a situação são mais ainda.

A Natasha que o Aja desenha é espetacular, benzadeus!

Sem duvida alguma essa fase já um cult das historias em quadrinhos da Marvel. O fato dela se focar na vida do personagem e não seus atos heroicos torna ela uma leitura obrigatória e agradável para todos os leitores da editora que estão de saco cheio de mega eventos e guerras super-heroicas. Quem diria que o cara que eu odiava iria se tornar um dos meus meus roteirista favoritos… quem diria, hem.

A Arte: só peca um pouco por causa da costante mudança que ela sobre devido à entrada de convidados para desenhar algumas edições, e eu não entendo o porque disso. Se já começou uma serie com um quadrinista definido, caramba, acabe a serie bom ele! Por mais legal que algumas arte possam parecer elas enfraquecem a obra dando a ela diferente pontos de vista artísticos.

David Aja está como sempre arrebentado tudo com uma arte de cair o queixo de tão bem feita. Talvez até umas das melhores já empregadas no Marvel Now! pelo seu traço simples e ao mesmo tempo detalhista e bem elaborado.

Sortudo.

Então por fim eu repito o que eu já venho dizendo a tempos. Corra o quanto antes atrás dessa HQ meu caro, ela vai te surpreender e você vai adora-la pra caramba.

  • Roteirista: Matt Fraction.
  • Quadrinista: David Aja, Francesco francavilla.
  • Colorista: Matt Hollingsworth.
  • Letras: Chris EliopoulosVc’s Cory Petit.
  • Ano: 2013. 

8,0/10

Anúncios

3 comentários em “Gavião arqueiro #4 ao #6 – Comic Review / Crítica

  1. Roger disse:

    Realmente uma obra-prima as histórias do Gavião Arqueiro pelo Fraction. Fiquei sabendo que serão publicadas numa nova revista chamada Capitão América & Gavião Arqueiro pela Panini, no que eles estão chamando de Nova Marvel. Particularmente gostaria que fosse lançado em forma de encadernados mas tudo bem num mix com o Sentinela da Liberdade. Compra certa!

    • senhorsombrio disse:

      Nossa cara não sabia disso, espero que eles mudem de ideia. Os encadernados do Demolidor e Justiceiro estão agradando muito, lançar mais um como o gavião arqueiro daria muito certo.

      O pior é que a pessoa vai ser forçada a comprar material do capitas que vem se arrastando a anos com historias mais ou menos.

      • Roger disse:

        Hehehe..Sr. Sombrio, meu amigo, eu particularmente gosto da fase do Capitão pelo Brubacker. Não estou acompanhando a nova fase pelo Remender mas vejo que o pessoal não está reclamando não. Mas concordo que títulos como Gavião Arqueiro deveriam sair em forma de encadernados assim como Demolidor e Justiceiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s